sexta-feira, 27 de março de 2015

Carta Informativa - Março de 2015

Castelnuovo del Garda, 27 de março de 2015.

Eu sei, ó SENHOR, que não é do homem o seu caminho, nem do homem que caminha, o dirigir os seus passos.” (Jr 10.23)

Amados irmãos e companheiros na obra missionária,

     Graça e paz da parte de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.

     Aqui estamos todos bem, graças ao nosso Bom Deus. Ele é fiel e tem nos dado graça e forças para continuarmos avante na Sua obra.
    Este mês tivemos mais uma vitória. A renovação do título de residência da Alessandra saiu e com validade até outubro de 2016. O meu título de residência e o do Lucas ainda não chegaram, pois tivemos um pequeno atraso com a tradução e legalização de alguns documentos que vieram do Brasil, mas deve chegar nos próximos dias. Saber que teremos cerca de um ano e meio sem nos preocupar com a renovação dos títulos é uma ótima notícia.
     Apesar dos desafios e das restrições impostas ao trabalho evangelistico num país como a Itália, temos visto Deus abençoar o nosso trabalho. Neste mês estivemos fazendo a distribuição de folhetos evangelísticos na localidade de Cavalcaselle e agora falta somente a localidade de Sandrà para concluirmos o alvo inicial de levarmos a mensagem da Palavra de Deus a todas as casas de nossa cidade. Depois estaremos estendendo este trabalho também as cidades vizinhas, visto que a maioria das cidades ao nosso redor não possuem nem mesmo uma única igreja evangélica. Realmente podemos dizer que grande é a seara!
     No mês de abril inicia a turma de discipulado e temos várias pessoas que já demonstraram interesse. No mês de junho queremos iniciar uma nova turma do curso teológico, visto que temos várias pessoas interessadas. Fico feliz por ver que os alunos da nossa primeira turma, que já eram ativos e empenhados, continuam crescendo e se desenvolvendo a cada dia mais na obra do Senhor.
     Temos vivido muitos desafios na Itália, mas saber que estamos no centro da vontade de Deus, nos conforta e ajuda-nos a prosseguirmos avante em nome do Senhor Jesus. Estar no centro da vontade de Deus não significa uma vida sem problemas ou dificuldades, na verdade, na maioria das vezes significa enfrentar muitos problemas e desafios, onde a nossa fé e perseverança são provadas, mas onde também vemos a fidelidade e o cuidado de Deus para com as nossas vidas.
     Não temos palavras para expressar a nossa profunda e sincera gratidão a todos queridos irmãos e igrejas que têm nos apoiado com vossas orações e contribuições. Tudo o que dissermos seria pouco, mas sei que o nosso Bom Deus há de recompensá-los. Muito obrigado a todos!

Motivos de oração:
  * Por nossa saúde física, emocional e espiritual;
  * Por direção, estratégias e graça de Deus para alcançarmos os italianos com a mensagem do Evangelho;
  * Por novos mantenedores e por um milagre em nossas finanças.

     Com gratidão, 

Pr. Paulo Henrique, Alessandra e Lucas
-----------------------------------------------------
Escreva para nós através dos e-mails:
ppaulo_henrique@hotmail.com | ppaulohenrique@gmail.com | alessandraccunha@hotmail.com

PARA OFERTAS ESPECIAIS - NOSSAS CONTAS:
Banco do Brasil Ag 3159-3 C/C 6573-0 ou Banco Itaú Ag 6116 C/C 00485-1 (Paulo Henrique P. Cunha)
Banco do Brasil Ag 3470-3 C/C 6927-2 ou Banco Itaú Ag 6116 C/C 10124-4 (Alessandra de Carvalho Cunha)

sexta-feira, 6 de março de 2015

“Coram Deo” [Definição] - R. C. Sproul

   Lembro-me de minha mãe em pé diante de mim, com as mãos nos quadris, com os olhos brilhando como brasas em fogo e dizendo, em tom de voz muito forte: “Qual é a grande ideia, rapaz?”
   Instintivamente percebi que minha mãe não estava me perguntando algo abstrato, em teoria. Sua pergunta não era uma pergunta em absoluto – era uma acusação velada. Suas palavras seriam facilmente traduzidas por “Por que você está fazendo o que está fazendo?” Ela estava me desafiando a justificar o meu comportamento com uma ideia válida. Eu não tinha nenhuma.
    Recentemente, um amigo com toda a seriedade me fez a mesma pergunta. Ele perguntou: “Qual é a grande ideia da vida cristã?” Ele estava interessado no objetivo abrangente e final da vida cristã.
   Para respondê-lo, recorri às prerrogativas de teólogo e lhe apresentei um termo em latim. Eu disse: “A grande ideia da vida cristã é coram Deo. Coram Deo capta a essência da vida cristã”.
   Esta frase literalmente se refere a algo que ocorre na presença de, ou perante a face de, Deus. Para viver coram Deo é viver uma vida inteira na presença de Deus, sob a autoridade de Deus, para a glória de Deus.
   Viver na presença de Deus é compreender que qualquer coisa que fizermos, e em qualquer lugar que o fizermos, estamos agindo sob o olhar de Deus. Deus é onipresente. Não há nenhum lugar tão remoto que possamos escapar do Seu olhar penetrante.
    Estar ciente da presença de Deus também é estar consciente de sua soberania. A experiência uniforme dos santos é reconhecer que, se Deus é Deus, então Ele é realmente soberano. Quando Saulo foi confrontado com a refulgente glória de Cristo ressuscitado na estrada de Damasco, sua pergunta imediata foi: “Quem és tu, Senhor?”. Ele não tinha certeza de quem estava falando com ele, mas ele sabia que, quem quer que fosse, certamente era soberano sobre ele.
   Viver sob a soberania de Deus envolve mais do que uma submissão relutante a uma absoluta soberania motivada por medo de punição. Trata-se de reconhecer que não há um objetivo mais elevado do que oferecer a honra a Deus. Nossas vidas devem ser um sacrifício vivo, oblações oferecidas em um espírito de adoração e gratidão.
   Para viver toda a vida coram Deo é viver uma vida de integridade. É uma vida de plenitude que encontra a sua unidade e coerência na majestade de Deus. Uma vida fragmentada é uma vida de desintegração. Ela é marcada pela incoerência, desarmonia, confusão, conflito, contradição e caos.
    O cristão que compartimenta sua vida em duas seções – religiosa e não-religiosa – não conseguiu entender a grande ideia. A grande ideia é que tudo na vida é religioso ou nada da vida é religioso. Dividir a vida entre o religioso e o não-religioso é, em si, um sacrilégio.
    Isto significa dizer que se uma pessoa realiza sua vocação como produtor de aço, advogado ou dona de casa coram Deo, então essa pessoa está agindo tão religiosamente quanto um evangelista e pescador de almas que cumpre a sua vocação. Isso significa que Davi era tão religioso quando obedeceu ao chamado de Deus para ser um pastor de ovelhas quanto foi no momento em que foi ungido com a graça especial de realeza. Significa que Jesus foi tão religioso enquanto trabalhou na carpintaria de seu pai quanto foi no Jardim do Getsêmani.
    A integridade é encontrada onde homens e mulheres vivem suas vidas em um padrão de consistência. Este é um padrão que funciona da mesma maneira básica na igreja e fora da igreja. É uma vida que está aberta diante de Deus. É uma vida em que tudo o que é feito, é feito como se para o Senhor. É uma vida vivida por princípios, não por conveniências; pela humildade perante Deus, não por rebeldia. É uma vida vivida sob a tutela de uma consciência cativa à Palavra de Deus.
   Coram Deo… perante a face de Deus. Essa é a grande ideia. Ao lado dessa ideia, nossos outros objetivos e ambições se tornam meras ninharias.

R. C. Sproul
What Does “coram Deo” Mean? (Texto original em inglês)

Extraído do site: www.reformaerazao.com/2010/02/coram-deo-definicao-r-c-sproul.html