quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Carta Informativa - Novembro de 2014

Castelnuovo del Garda, 19 de Novembro de 2014.

“Faze-me teu servo fiel, ó meu Deus, que eu te honre em meu tempo e em minha geração, e que seja consagrado para sempre a teu serviço.” (Charles Spurgeon)

Amados irmãos e companheiros na obra missionária,

     Graça e paz da parte de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.
     Ao iniciar esta carta, meus pensamentos me reportam ao início do Projeto Seara Itália. Me recordo bem o sentimento de paz que tinha no coração ao voltarmos da Índia e a intensa busca para entendermos a vontade de Deus para os nossos passos futuros. Com grande sinceridade posso afirmar que nunca tive nenhuma preferência pessoal para servir a Deus em algum lugar ou país específico, mas sempre coloquei as nossas vidas por completo nas mãos de Deus, afim de que Ele nos conduzisse em tudo e que pudéssemos servi-lo com tudo que temos e somos, abrindo mão da nossa vontade para que a dEle seja realizada em nossas vidas. Como sempre costumo dizer: “O melhor lugar para estarmos é no centro da vontade de Deus”. Estar no centro da vontade de Deus não significa uma vida sem problemas ou dificuldades, na verdade, na maioria das vezes significa enfrentar muitos problemas e desafios, onde a nossa fé e perseverança são provadas, mas onde também vemos a fidelidade e o cuidado de Deus para com as nossas vidas.
     Servir como missionários na Itália não é nada fácil. Existe a pressão espiritual, religiosa, emocional, financeira, além da grande burocracia, que fazem da Itália um dos países com o maior percentual de retorno prematuro de missionários no mundo. No entanto, como disse o salmista: “o Senhor está comigo entre aqueles que me ajudam” (Sl 118.7).
     No dia 07/11 conseguimos dar a entrada nos pedidos dos títulos de residência (permesso di soggiorno) da Itália, que são mais demorados e caros do que em Portugal (gastamos 250 euros para renovar os de Portugal e cerca de 500 euros para dar entrada nos da Itália), mas já é um passo muito importante para nossa permanência e desenvolvimento do nosso projeto missionário na Itália. Agora teremos de nos apresentar no dia 16/12 na Questura (Sede da Polícia) para apresentar os documentos originais e tirar as impressões digitais, depois teremos de aguardar cerca de um mês para termos os títulos de residência. Por favor, orem para um processo rápido e sem complicações.
     No dia 15/11 estive participando, na cidade de Trieste, da reunião do Comitê Regional Triveneto (regiões de Veneto, Friuli Venezia Giulia e Trento) da MIE (Missione Italiana per l’Evangelo), da qual somos membros. Por indicação do Pr. Mosè Baldari (Presidente da MIE), fui nomeado conselheiro na Comissão Diretiva da MIE para a região de Triveneto. Me sinto muito honrado, por mais esta oportunidade de servir e ajudar na evangelização da Itália.
     Somos profundamente gratos a todos os amados irmãos e igrejas que não têm nos deixado sozinhos, mas estão juntos conosco na obra missionária através das orações e contribuições. Muito obrigado a todos! As vossas orações e contribuições são muito importantes para que possamos continuar levando a Palavra de Deus em terras italianas!

Motivos de oração:
  * Por nossa saúde física, emocional e espiritual;
  * Pelo processo dos nossos títulos de residência da Itália,
  * Por direção, estratégias e graça de Deus para alcançarmos os italianos com a mensagem do Evangelho;
  * Pelo Matheus que está no Brasil;
  * Por novos mantenedores e por milagres em nossas finanças.

     Com gratidão, 

Pr. Paulo Henrique, Alessandra e Lucas
-----------------------------------------------------
Escreva para nós através dos e-mails:
ppaulo_henrique@hotmail.com | ppaulohenrique@gmail.com | alessandraccunha@hotmail.com
PARA OFERTAS ESPECIAIS - NOSSAS CONTAS:
Banco do Brasil Ag 3159-3 C/C 6573-0 ou Banco Itaú Ag 6116 C/C 00485-1 (Paulo Henrique P. Cunha)
Banco do Brasil Ag 3470-3 C/C 6927-2 ou Banco Itaú Ag 6116 C/C 10124-4 (Alessandra de Carvalho Cunha)

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Definição bíblica de um missionário

Por Pr. Paulo Henrique P. Cunha

     Muitos, talvez, pensem que missionário é cada crente que ora e contribui para a obra missionária. Estes, sem dúvida, têm grande participação na salvação das almas (o que seria dos missionários sem oração e contribuição dos irmãos?). Embora participantes, ainda que indiretamente do ministério do missionário, o termo missionário vai muito além. Nos dias atuais estamos vendo uma usurpação do termo missionário. Existem aqueles que assim querem ser chamados sem, no entanto, nunca terem saído de sua cidade, nem sequer de sua Igreja. Querem ser chamados de missionários, mas não têm chamada, e nem sequer paixão pelas almas perdidas. O que na verdade desejam é um cargo; e serem vistos e até reverenciados. Nestes tempos de generalização, quase tudo é missões e quase todo mundo é missionário. Mas quem, na verdade, é um missionário?
     A palavra missionário não aparece na Bíblia. Missionário vem da palavra latina “mitto”, que significa “Eu envio” e que está intimamente ligada ao termo grego “apostello” no Novo Testamento, cujo significado é “enviar”. As palavras “enviar” e “enviado” ocupam um lugar proeminente no Novo Testamento, especialmente nos Evangelhos. Existem duas palavras gregas apostello e pempo, ambas significando “enviar”, e que aparecem 215 vezes no Novo Testamento – apostello, 135 vezes (Mt 10.5; 15.24; At 8.14; 28.28, etc.), e pempo, 80 vezes (Mt 11.2; At 20.17; 23.30, etc.).
     George W. Peters, em seu livro “Teologia Bíblica de Missões”, esclarece o significado e uso destas duas palavras:

     “Ambas as palavras são usadas em relação a Cristo, assim como aos apóstolos. Há, porém, uma diferença na ênfase e profundidade. Pempo enfatiza mais o ato de enviar e exprime a relação do emissor com o enviado, ao passo que apostello também envolve a ideia da emissão oficial com uma missão. Esta última inclui um propósito no ato de enviar.... Apostello: ‘O verbo carrega o significado de enviar um mensageiro com uma incumbência especial. Consequentemente, ele é usado em relação à missão do Filho de Deus e à de seus apóstolos; a palavra ‘apóstolo’ deriva-se diretamente dele. Apostello é, desta forma, distinto de pempo, ‘enviar’, que denota simplesmente a relação do emissor com o enviado’.”[1]

     O missionário é um “enviado”, no sentido bíblico da palavra. Desta forma, missionário não é aquele que partiu, mas aquele que foi “enviado” com uma missão. De acordo com a Bíblia, entendemos que a missão do missionário (enviado) é: pregar o Evangelho, estabelecer e edificar igrejas, onde Cristo ainda não é conhecido.
     Mais uma vez George W. Peters nos traz luz a este assunto:

     “No sentido técnico e tradicional da palavra, um missionário é um mensageiro cristão do Evangelho de Jesus Cristo, enviado pela autoridade do Senhor e da igreja para cruzar limites nacionais e/ou linhas divisórias culturais e religiosas a fim de conquistar novas fronteiras para Cristo, pregar o Evangelho de redenção em Cristo Jesus para salvação do povo, fazer discípulos e estabelecer igrejas funcionais e evangelizadoras de acordo com a ordem de Cristo e o exemplo dos apóstolos.”[2]

     Aqui é necessário fazer uma observação: Existem muitos missionários verdadeiros e que estão trabalhando em seu próprio país e que não foram enviados para um campo específico. São os missionários de base.  Eles também foram chamados por Deus e enviados por sua igreja para trabalharem na base de uma missão, para dar suporte e auxílio no preparo para que outros possam ir. Também a estes o nosso respeito e grande admiração.
     Infelizmente, existem muitos que pensam que ser missionário é fazer um passeio turístico a determinada cidade ou país. Ali visitam algumas igrejas, tiram algumas fotos e dentro de poucos dias estão em suas casas e dizem que agora são um missionário. Fazer missões está muito além de dar a volta ao mundo em 80 dias. Muitas igrejas hoje estão cheias de missionários (igreja é lugar de missionário?), que nunca saíram de dentro de quatro paredes. Missões virou moda, e por isso, mesmo muitos líderes pensam: “Temos que consagrar aquela irmã do círculo de oração, porque ela é uma benção, está todos os dias na igreja orando, e também, se não consagrarmos ninguém a missionário vamos ficar fora da moda”. Esta irmã pode ser uma benção orando, principalmente se ora por missões, mas não podemos consagrar nem pensar que é isto que é ser missionário. Há aqueles também que andam de igreja em igreja e dizem ser missionários, mas a verdadeira missão de um missionário é sair lá fora onde os pecadores estão, e pregar-lhes a Palavra de Deus! 

Nota: O presente artigo foi extraído da matéria "Cuidado Integral do Missionário" do Curso de Capacitação Missionária de SEMIPA (Semeadores Missionários com Paixão pelas Almas).

Bibliografia:
1. PETERS, George W, “Teologia Bíblica de Missões”, (CPAD, 2000), pg. 303
2. Idem, pg. 302