sábado, 18 de fevereiro de 2012

Tem cuidado de ti mesmo!

Por Pr. Paulo Henrique P. Cunha

Tem cuidado de ti mesmo e da doutrina; persevera nestas coisas; porque, fazendo isto, te salvarás, tanto a ti mesmo como os que te ouvem” (1Tm 4.16).


     “Tem cuidado de ti mesmo” não é uma sugestão, mas uma obrigação de todo ministro cristão. Quantas vezes priorizamos o trabalho cristão, acima da vida de comunhão com Deus. Cedemos à tirania do ativismo religioso que nos rouba o tempo de contemplação, comunhão e intimidade com Deus. Invertemos as prioridades, colocando “a obra” em primeiro lugar e o Deus da “obra” em segundo. O serviço cristão não é mal em si, pelo contrário, mas quando este ocupa o primeiro lugar em nossas vidas, é um ídolo (1Jo 5.21).
    Tal qual Marta achamos que Deus está mais interessado em nosso serviço (Lc 10.40-42), porém, Jesus nos ensinou que esta não é a melhor parte. Maria escolheu a melhor parte: “uma atitude de adoração e meditação, ouvindo com a mente e coração abertos as palavras de Jesus.”1
    Medimos a espiritualidade pelo trabalho que fazemos, porém a verdadeira espiritualidade diz respeito a atenção que dispensamos a nossa alma em comunhão com Deus. Queremos que Deus nos fale, mas estamos muito ocupados para parar e ouvi-Lo.
     O apóstolo Paulo trata de colocar as prioridades na ordem correta. Se o ministro não cuidar de si mesmo (sua saúde espiritual, também física e emocional) dificilmente terá êxito em sua missão. Jesus disse que “do que há em abundância no coração, disso fala a boca” (Lc 6.45). Se a cada dia enchermos nossos corações da Palavra de Deus e da doce presença do Senhor, as pessoas ao nosso redor por certo notarão. O contrário também poderá ser notado. Vidas vazias podem até fazer muito barulho (como uma lata vazia rolando ladeira abaixo), mas seus efeitos serão poucos.
     Como ministros do Evangelho, é realmente muito contraditório dizer aos outros que eles devem se encher da presença de Deus e da Sua palavra, se isto não é uma prioridade em nossas vidas. E, somente será prioridade quando investimos o devido tempo e atenção.
    Como diz George MacDonald: "A comunhão com Deus é a única necessidade da alma acima de todas as outras necessidades; a oração é o começo dessa comunhão, e alguma necessidade é o motivo dessa oração. Nossas carências existem para que entremos em comunhão com Deus, nossa carência eterna."2
     Que os nossos corações possam expressar, com sinceridade, o mesmo sentimento do salmista Asafe que diz: “A quem tenho eu no céu senão a ti? e na terra não há quem eu deseje além de ti” (Sl 73.25).
------------------------------
1. Bíblia de Estudo MacArthur. Barueri, SP: Sociedade Bíblica do Brasil, 2010, p. 1344.
2. MACDONALD, George. Biblioteca de C.S. Lewis. Copilado por James Stuart Bell. São Paulo: Editora Mundo Cristão, 2006, p. 194.

Nenhum comentário:

Postar um comentário