sábado, 19 de fevereiro de 2011

Frases para pensar (9)

"Aquele que tem aprendido a buscar nada, mas a vontade de Deus, sempre encontrará o que procura. " / "He who has learned to seek nothing but the will of God, shall always find what he seeks." (Madame Guyon)

"Muitos oram com os seus lábios para aquilo que seus corações não desejam." / "Many pray with their lips for that for which their hearts have no desire." (Jonathan Edwards)

"Temos o direito de acreditar em qualquer coisa que quisermos, mas nem tudo o que acreditamos é certo." / "We have a right to believe whatever we want, but not everything we believe is right." (Ravi Zacharias)

"A oração é conosco; a resposta é com Deus." / "The prayer is up to us; the answer is up to God." (Woodrow Kroll)

"Fé é a disposição de arriscar qualquer coisa em Deus." / "Faith is the willingness to risk anything on God." (Jack Hyles)

"Nós temos a tendência de culpar os outros por nossos fracassos e levar o crédito pelo nosso sucesso." / "We tend to blame others for our failures and take credit for our sucess." (Erwin W. Lutzer)

"Mas se tratarem os outros com favoritismo, estarão cometendo pecado e serão condenados pela Lei como transgressores." (Tiago2:9 NVI) / "But if you take a man's position into account, you do evil, and are judged as evil-doers by the law." (James 2:9 BBE)

"Tornámo-nos tão absorvidos na obra do Senhor que nos esquecemos do Senhor da obra." / "We have become so engrossed in the work of the Lord that we have forgotten the Lord of the work." (A.W. Tozer)

"Condenar as pessoas por não manterem regras humanas e rituais religiosos é legalismo." / "To condemn the people for not keeping human rules and religious rituals is legalism." (John MacArthur)

"A fé vê o invisível, acredita no inacreditável e recebe o impossível." / "Faith sees the invisible, believes the unbelievable, and receives the impossible."(Corrie Ten Boom)

"É verdade que podemos desejar muito mais. Mas vamos usar o que temos e Deus nos dará mais." / "It is true that we may desire much more. But let us use what we have, and God will give us more." (Adoniram Judson)

"Nós podemos facilmente ser grande demais para que Deus possa usar, mas nunca muito pequeno." / "We may easily be too big for God to use, but never too small." (D.L. Moody)

"Um pecador humilde está em uma condição melhor do que um anjo orgulhoso." / "A humble sinner is in a better condition than a proud angel." (Thomas Watson)

"O orgulho constrói muros entre as pessoas, a humildade constrói pontes" / "Pride builds walls between people, humility builds bridges." (Rick Warren)

"Minha casa está no céu. Eu estou apenas viajando por este mundo." / "My home is in Heaven. I'm just traveling through this world." (Billy Graham)

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Mais Bíblia e menos conjecturas

Por Pr. Paulo Henrique

    A tarefa da hermenêutica busca entender o significado original (pretendido pelo autor) para, a partir daí, contextualizar o significado para a igreja de hoje. O significado original determinará o significado atual (o que significa para nós hoje) e nunca o inverso.
     Infelizmente parece que virou moda entre os pregadores da atualidade o abuso das conjecturas, talvez influenciados pelo modismo de alguns “pregadores famosos”.
    O que significa conjectura? Conjectura, segundo o dicionário Michaelis, significa “juízo ou opinião com fundamento incerto; suposição, hipótese”.
    Todo o texto bíblico tem o seu significado original, ou seja, aquilo que o escritor realmente quer dizer, e nenhuma conjectura deve mudar ou contrariar isso.
     Muitas mensagens pregadas por alguns “pregadores famosos” poderiam corretamente ser rotuladas de estórias ou contos, mas menos de mensagens bíblicas, visto que ao abusarem das conjecturas acabam por diluir (dissolver) quase todo sentido literal (significado original) do texto bíblico, chegando a dizer e a afirmar aquilo que a Bíblia na verdade não diz. Amordaçam o texto bíblico, dando um sentido diferente e espúrio (falso) ao texto bíblico. Fazem isto com uma maestria que conseguem iludir a muitos incautos (ingênuos) e arregimentam um grande número de seguidores.
   Muitas vezes, as conjecturas têm sido usadas como desculpa para ir além do que está escrito, apesar da recomendação bíblica que nos alerta para não o fazermos (1Co 4.6). Reconheço que existem textos onde podemos utilizar das conjecturas (mas, nunca abusar) para dar nossa opinião sobre algo ou algum acontecimento, mas esta conjectura não pode contradizer o sentido original pretendido pelo autor.
     Alguns “pregadores” são especialistas em manipular textos, principalmente com a intenção de literalmente tirar dinheiro do povo. Certa vez, tive a infelicidade de ouvir um pregador manipular descaradamente o texto de 1Re 18.41-45, que fala sobre Elias orando por chuva, após o confronto com os profetas de Baal. Ele disse que Elias ofereceu o melhor (a água que estava escassa) durante o sacrifício a Deus, durante o confronto com os profetas de Baal e, segundo ele disse com tanta certeza, foi essa água que evaporou e formou a pequena nuvem “que se levanta do mar [...] do tamanho da mão dum homem” (v.44), trazendo uma abundante chuva. A conclusão dele foi que a oferta (do melhor) foi a causa da chuva e, se alguém quisesse uma abundante chuva (de bênçãos) deveriam ofertar com o melhor. É claro, que o significado original do texto e tão pouco sua contextualização (o que significa para nós hoje) não diz nada disso. O texto, de maneira clara, afirma que a chuva veio como resposta à oração de Elias (vv. 42-44).
     Uma das regras da hermenêutica é que “um texto não pode significar aquilo que nunca poderia ter significado para seu autor ou seus leitores”. Ou seja, o significado atual (a contextualização para a igreja de hoje) não pode contradizer o significado original que o autor quis comunicar aos seus leitores.
     É imperativo que nossas pregações tenham menos conjecturas e mais Bíblia, menos opiniões com fundamentos incertos e mais exegese bíblica.

domingo, 13 de fevereiro de 2011

Cristo + Legalismo

Por John MacArthur

     Há muitos anos, um colega da faculdade me disse: "Eu não acho que você seja uma pessoa muito espiritual".
     Fiquei perplexo, porque ele não me conhecia o bastante para extrair aquela conclusão, então perguntei a ele porque dissera aquilo.
     "Porque você não vai às reuniões de oração no meio da semana", ele respondeu.
    "O que isso tem a ver com a minha espiritualidade?", perguntei. "Eu posso muito bem passar o dia e a noite em oração."
    "Não", ele disse. "Pessoas espirituais vão às reuniões de oração."
     Se ele tivesse dito que pessoas espirituais oram, eu teria concordado e confessado que eu necessitava orar mais fiel e fervorosamente. Mas condenar as pessoas por não manterem regras humanas e rituais religiosos é legalismo. Jesus encarou isso frequentemente em seus conflitos com os fariseus. Paulo adverte sobre isso em Colossenses 2.16-17:

         Ninguém, pois, vos julgue por causa de comida e bebida, ou dia de festa, ou lua nova, ou sábados, porque tudo isso tem sido sombra das cousas que haviam de vir; porém o corpo é de Cristo.

     Paulo se dirigia às pessoas legalistas que estavam nas igrejas e acreditavam, com efeito, que somente um relacionamento pessoal, vital e profundo com Cristo não é suficiente para satisfazer a Deus. Eles haviam acrescentado regras e requisitos que governavam o exercício de certos deveres que eles achavam essenciais à espiritualidade — regras sobre o comer, o beber, o vestir e a aparência, rituais religiosos e assim por diante. Na economia Mosaica, Deus concedeu muitas leis externas com o propósito de proteger Israel da interação social com povos pagãos corruptos. Tais leis também foram dadas para ilustrar verdades espirituais internas que se cumpririam em Cristo.
     Paulo também disse: "Porque nós é que somos a circuncisão, nós que adoramos a Deus no Espírito, e nos gloriamos em Cristo Jesus, e não confiamos na carne" (Filipenses 3.3). O que ele quis dizer com isso? Os versículos 4-9 respondem:

         Bem que eu poderia confiar também na carne. Se qualquer outro pensa que pode confiar na carne, eu ainda mais: Circuncidado ao oitavo dia, da linhagem de Israel, da tribo de Benjamim, hebreu de hebreus; quanto à lei, fariseu, quanto ao zelo, perseguidor da igreja; quanto à justiça que há na lei, irrepreensível. Mas o que para mim era lucro, isto considerei perda por causa de Cristo. Sim, deveras considero tudo como perda, por causa da sublimidade do conhecimento de Cristo Jesus meu Senhor: por amor do qual, perdi todas as cousas e as considero como refugo, para ganhar a Cristo, e ser achado nele, não tendo justiça própria, que procede de lei, senão a que é mediante a fé em Cristo, a justiça que procede de Deus, baseada na fé.

    Nenhuma circuncisão humana torna alguém justo diante de Deus, apenas o verdadeiro amputar do pecado por meio da salvação em Cristo.
     Quando Cristo veio, os elementos cerimoniais da lei foram postos de lado, porque Ele era o cumprimento de tudo que eles prenunciavam. No entanto, os legalistas na igreja primitiva insistiam que todas as cerimônias — incluindo a circuncisão, a observância do sábado e leis dietéticas — deveriam ser mantidas como padrões de espiritualidade. Visto que eles não estavam genuinamente dedicados a amar a Jesus Cristo, eles ficaram com uma aparência de santidade em vez da verdadeira espiritualidade.
     Seu legalismo estava em direto confronto com o ensino do próprio Cristo. Jesus deixou claro que leis dietéticas eram simbólicas e não tinham a inerente habilidade de tornar alguém justo, quando Ele disse que nada que entra no homem pode contaminá-lo. É o que sai de uma pessoa (maus pensamentos, palavras e outras expressões de um coração pecaminoso) que causa contaminação (Marcos 7.15). Esta foi uma declaração chocante, porque o povo judeu sempre crera que havia certos alimentos que contaminavam o corpo. Eles haviam entendido mal o simbolismo das leis dietéticas e pensavam que segui-las realmente poderia tornar alguém justo.
     Em Atos 10, Pedro teve uma visão de vários tipos de animais impuros que Deus ordenara que ele matasse e comesse. Quando Pedro fez objeção, porque ele nunca havia comido "cousa alguma comum e imunda" (v. 14), uma voz do céu disse: "Ao que Deus purificou não consideres comum" (v. 15). Um novo dia chegara. Deus estava revelando a seu povo que as leis dietéticas não estavam mais em vigor. Pedro entendeu a mensagem (v. 28). Os crentes estavam livres da escravidão da lei, fortalecidos pela graça para cumprir a justiça da lei sem se escravizarem a seus detalhes cerimoniais. Paulo resume a questão em Romanos 14.17: "Porque o reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, e paz, e alegria no Espírito Santo".
     Em 1 Timóteo 4.1-5, Paulo adverte contra aqueles que apostatarão da fé, por obedecerem a espíritos enganadores e a ensinos de demônios, pela hipocrisia dos que falam mentiras e que têm cauterizada a própria consciência, que proíbem o casamento, exigem abstinência de alimentos, que Deus criou para serem recebidos, com ações de graça, pelos fiéis e por quantos conhecem plenamente a verdade; pois tudo o que Deus criou é bom, e, recebido com ações de graça, nada é recusável, porque pela palavra de Deus e pela oração é santificado.
     Um evangelho de obras efetuadas pelo homem não é nenhum evangelho (Gálatas 1.6-7; 5.2). Se batismo, orações, jejuns, uso de vestes especiais, presença na igreja, vários tipos de abstinência ou outros deveres religiosos são necessários para se ganhar a salvação, então a obra de Cristo não é verdadeiramente suficiente. Isso é zombar do evangelho.
     O legalismo é tanto uma ameaça à igreja hoje como o foi em Colossos. Mesmo nas igrejas evangélicas há muitas pessoas cuja certeza de salvação está baseada em suas atividades religiosas, ao invés de confiarem somente no Salvador todo-suficiente. Elas presumem que são cristãs porque lêem a Bíblia, oram, vão à igreja ou realizam outras funções religiosas. Elas julgam a espiritualidade na base da atuação externa em lugar do amor interno a Cristo, do ódio ao pecado e de um coração devotado à obediência.
    Obviamente a leitura da Bíblia, a oração e a comunhão dos crentes podem ser manifestações da verdadeira conversão. Mas, quando isoladas da devoção a Cristo, essas coisas reduzem-se a insignificantes rituais religiosos que até incrédulos podem realizar e pelos quais são enganados quanto à sua vindoura condenação. Jesus disse:

         Muitos, naquele dia, hão de dizer-me: Senhor, Senhor! Porventura não temos nós profetizado em teu nome, e em teu nome não expelimos demônios, e em teu nome não fizemos muitos milagres? Então, lhes direi explicitamente: Nunca vos conheci. Apartai-vos de mim, os que praticais a iniqüidade. (Mateus 7.22-23)

     Não se intimide pelas expectativas legalistas e superficiais da parte de outras pessoas. Deixe que seu comportamento seja o resultado do seu amor a Cristo e das santas aspirações produzidas em você pela habitação do Espírito e pela presença permanente da sua Palavra (Colossenses 3.16).

Extraído do livro “A procura de algo mais” de John MacArthur

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Carta Informativa - Fevereiro de 2011

 São José do Vale do Rio Preto / RJ, 8 de fevereiro de 2011.

"O que nós fazemos enquanto esperamos é tão importante para Deus como o que esperamos." (Erwin W. Lutzer)

Amados irmãos e companheiros na obra missionária,

     Graça e paz da parte de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.
   
     Queremos começar agradecendo a todos pelas orações em nosso favor. Aqui, estamos bem, pela graça de Deus.
     Muitas coisas aconteceram desde a última carta que enviamos. Como todos sabem, nossa cidade (São José do Vale do Rio Preto) foi muito afetada pelas forças das águas do Rio Preto (que corta a cidade de uma extremidade a outra) e que em alguns lugares subiu mais de 10 metros acima do nível normal, arrasando tudo pela frente. A Defesa Civil contabiliza 749 imóveis destruídos e 2.150 desabrigados em nossa cidade (mais de 10% dos habitantes). A Assembleia de Deus de Águas Claras (onde somos membros) e o escritório de SEMIPA foram inundados (colocamos algumas fotos no meu perfil do Orkut). Muitas pessoas perderam quase tudo, dentre elas muitos de nossos familiares, amigos e famílias da Igreja onde somos membros.
     As águas começaram subir pouco depois das sete horas da manhã, quando muitas pessoas já estavam acordadas e os vizinhos puderam ajudar avisando e resgatando outros vizinhos. Se fosse de madrugada o número de mortos seria enorme. A despeito de toda destruição, só temos motivos para agradecer a Deus, pois quase não houve mortos em nossa cidade.
     Estima-se que levará muitos meses, até anos, para tudo ficar normal novamente em nossa cidade, mas a recuperação já começou. Apesar de tudo, as cidades atingidas por essa tragédia têm visto também a generosidade e a solidariedade do povo brasileiro. Muitas igrejas, escolas e estádios estão cheios de donativos (roupas, alimentos, água potável e material de limpeza) para ajudar aqueles que perderam quase tudo. Mas ainda vai demorar algum tempo para que muitas pessoas sejam curadas. Muitas pessoas estão ainda em estado de choque (muitas delas perderam familiares e amigos). Por favor, continuem orando por todos os habitantes das cidades afetadas. A oração é muito importante e necessária neste momento.
     Nós somos muito gratos a todos que ligaram (ou tentaram, pois ficamos muitos dias sem telefone ou celular), que mandaram e-mails, que enviaram suas mensagens de encorajamento e apoio, como também pelas orações em nosso favor. Os obreiros na Índia também me ligaram várias vezes e numa dessas vezes, pude participar por alguns minutos de um dos cultos, onde os irmãos indianos estiveram orando com muito fervor por todas as cidades atingidas.
     Com relação a nossa ida para Portugal, já estamos dando início ao processo para obtenção dos vistos. Por favor, estejam orando para que tenhamos um processo rápido e sem complicações. Estamos nos preparando para ir para Portugal logo após conseguirmos os vistos. Nosso objetivo é estar indo para Portugal até Maio. Em Portugal, além de estar cooperando com a Igreja Baptista de Cascais, pastoreada pelo nosso amigo Pr. Alex Branco, estarei visitando a Itália a cada dois ou três meses, para conseguir a documentação para a obtenção dos vistos para aquele país. Estejam orando também por novos mantenedores para completar o valor necessário para o nosso sustento na Europa.
          Mais uma vez, somos imensamente gratos a todos os amados irmãos por estarem juntos conosco na obra missionária. Seu apoio e orações são muito importantes. Obrigado a todos!

     Com gratidão,
 
Pr. Paulo Henrique, Alessandra, Matheus e Lucas
-----------------------------------------------------
Escreva para nós através dos e-mails:
ppaulo_henrique@hotmail.com | ppaulohenrique@gmail.com | alessandraccunha@hotmail.com

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Frases para pensar (8)

"Muitas vezes, a primeira ajuda de Deus não é a própria virtude, mas a força para tentar de novo." / "Very often what God first helps us towards is not the virtue itself but just this power of always trying again."(C.S. Lewis)

"O conflito é inevitável, mas o combate é opcional." / "Conflict is inevitable, but combat is optional." (Max Lucado)

"As realizações de hoje eram as impossibilidades de ontem"  / "Today's accomplishments were yesterday's impossibilities." (Robert H. Schuller)

"Não adianta fazer uma bondade, se você fizer isso em um dia que já seja tarde demais." / "There's no use doing a kindness if you do it a day too late." (Charles Kingsley)

"Pequenas coisas nos consolam porque pequenas coisas nos afligem. " / "Little things console us because little things afflict us." (Blaise Pascal)

"As lágrimas são, muitas vezes, o telescópio através do qual os homens vêem longe no céu. " / "Tears are often the telescope by which men see far into heaven." (Henry Ward Beecher)

"O encorajamento é impressionante. Ele pode realmente mudar o curso do dia, da semana ou da vida de outra pessoa." / "Encouragement is awesome. It (can) actually change the course of another person's day, week, or life." (Chuck Swindoll)

"Quando você não pode fazer nada além de orar -- Você fez muito." / "When you can't do nothing but pray--you've done a whole lot." (T.D. Jakes)

"Não importa qual seja a nossa circunstância, podemos sempre encontrar uma razão para ser agradecido" / "No matter what our circumstance, we can find a reason to be thankful." (David Jeremiah)

"Sempre há incertezas à frente, mas sempre há uma certeza - a vontade de Deus é boa." / "There are always uncertainties ahead, but there is always one certainty - God's will is good." (Vernon Paterson)

"É completamente duvidoso que alguém venha a Cristo buscando sua ajuda e possa ser salvo sem a intenção de obedecê-lo"  / "It is altogether doubtful whether any man can be saved who comes to Christ for His help with no intention to obey Him." (A.W. Tozer)

"O mundo se questiona: Quanto é que este indivíduo tem? Cristo pergunta: Como será que este homem usa o que tem?" / "The world asks, 'What does a man own?' Christ asks, 'How does he use it?'" (Andrew Murray)

"O que nós fazemos enquanto esperamos é tão importante para Deus como o que esperamos" / "What we do while we are waiting is just as important to God as that for which we wait!" (Erwin W. Lutzer)

"Nunca deixe seu zelo exceder sua caridade. O primeiro é meramente humano, o último é divino" / "Never let your zeal outrun your charity. The former is but human, the latter is divine." (Hosea Ballou)

"Nós podemos fazer mais o bem sendo bons do que em qualquer outra maneira."  / "We can do more good by being good than in any other way." (Rowland Hill)

"Nós devemos fazer o reino invisível visível em nosso meio." (João Calvino) / "We must make the invisible kingdom visible in our midst." (John Calvin)